REZAR COM ARTE - QUARTA SESSÃO

Dentro das variantes iconográficas da representação de Cristo Ressuscitado, uma das mais recentes e populares é uma escultura em madeira que encontramos em muitas das nossas igrejas de construção mais recente, das últimas duas ou três décadas.
 
De interpretação muito óbvia, e porque se trata de uma peça normalmente colocada num plano elevado, facilmente poderemos associar este tipo de representação do Ressuscitado às representações de Cristo na Ascensão ou de Cristo-Rei, sublinhando não só a centralidade do facto da Ressurreição de Jesus Cristo na Fé cristã, mas também exprimindo o desdobramento desse mesmo facto nos mistérios gloriosos que a Igreja celebra neste Tempo Pascal, convocando todo o cristão a uma maior comunhão com o Ressuscitado, que a todos vem oferecer a possibilidade da vida nova.
 
Diz Santo Agostinho: "Não é grande coisa acreditar que Cristo morreu; também os pagãos, os judeus e todos os condenados acreditam. Todos acreditam que Ele morreu. A fé dos cristãos consiste em crer na ressurreição de Cristo. Consideramos importante crer que Ele ressuscitou.(...) Foi essa fé na ressurreição de Cristo que principalmente recomendou o Apóstolo. Pois disse: “Se creres em teu coração que Deus O ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” (Rm 10,9). Não disse: Se acreditares que Cristo morreu, o que também os pagãos, os judeus e todos os seus inimigos acreditaram, e sim: “Se creres em teu coração que Deus O ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” - Comentário ao Salmo 120.
 

publicado a:07/05/2019

+ ver mais notícias

Contactos